Páginas

sábado, 29 de maio de 2010

O Maravilhos Mundo de Final Fantasy (Parte III)

O Maravilhoso Mundo de Final Fantasy (Parte III)

Introdução
Ainda com a mesma equipe que á anterior, Final Fantasy III prometia muito mais coisas e novidades do que seus antecessores, novos sistemas, novas classes, enredos incríveis e o jogo não parou por aí.

 Enredo
enredo coloca os quatro heróis órfãos na eterna luta entra as forças da Luz e das Trevas. Quando Uma era destruída, a Outra evocava quatro Guerreiros para reinstaurar o frágil equilíbrio. Tempos atrás humanos tentaram absorver o poder da luz, o que evocou quatro guerreiros das trevas para enfrentá-los. Os Gulganos, um círculo de profetas cegos, profetizaram que um dia o inverso ocorreria, e assim esperavam pelos guerreiros da Luz virem restaurar o equilíbrio. E isto veio acontecer graças a um mago rancoroso chamado Xande, pupilo do bruxo Noah, aquele que evocou a Nuvem das Trevas(Cloud of Darkness), um ser maligno que precisava ser banido do mundo ou um incontrolável vazio o consumiria.
Personagens
Na versão original, o jogo não continha personagens, como em FF, você os nomeava e haviam várias classes diferentes: Onion Knight , Freelancer, Warrior, Thief, White Mage, Black Mage, Red Mage, Monk, Knight, Geomancer, Scholar, Ranger, Dragoon, Bard, Viking, Evoker, Magic Knight (Versão NES), Dark Knight (Versão NDS), Ninja, Summoner, Devout, Black Belt, Sage e Magus.
Na versão NDS os personagens ganham nomes: Luneth, Arc, Refia e Ingus.
Jogabilidade e Dificuldades
O cristal concedeu a eles as Jobs, uma tradição dos Final Fantasies, ao invés de escolher uma única classe e passar o restante do jogo com ela, você era livre para transitar por várias profissões, incluindo as novas- Archer, Scholar, Geomancer, Viking, Magic Knight, Bard e Sage.
Todas equipando armas e armaduras específicas. Outras profissões eram conseguidas conforme se encontrasse os outros cristais. Cada profissão tinha sua habilidade especial e no jogo um novo espaço no menu foi aberto para ela. Agora um Thief tinha a habilidade de roubar(Steal) e um Dragoon a de saltar (Jump). Independente da profissão os personagens evoluíam do mesmo jeito pois o sistema de experiência do primeiro jogo voltou. Duas das mais significativas novas profissões eram Conjurer e Summoner, ambas capazes de invocar seres mágicos pela primeira vez na série. Estas invocações como Odin, Ramuh, Shiva, Ifirit, Titan e Leviathan podiam ser comprados em lojas ou obtidos ao derrotar as própria criaturas. Elas não faziam parte da história em si, mas seu poder adicional era muito bem-vindo.
Assim como o segundo capitulo nos apresentou os Chocobos, FFIII nos trouxe os Moogles, bichinhos brancos com asas de morcegos que protegiam o recluso bruxo Doga. Eles retornariam na série ora vendendo magias, ora lutando ao lado do seu time ou mantendo sua casa limpa. Para atenuar as limitações dos inventários nos jogos anteriores, FFIII trouxe os Fat Chocobos, criaturinhas gordas que podiam engolir itens e transportá-los pelo mapa.

Remakes
O Jogo original foi lançado para o NES em 1990, mas nunca chegou nas mãos dos jogadores ocidentais na época ao invés disso foi usurpado (que nem Final Fantasy II) por Final Fantasy VI, tomando seu nome. Diferente de Final Fantasy I e II, FFIII não teve remakes para tudo quanta plataforma, só houve um remake para NDS (Nintendo DS) em 2006, esse já havia gráficos melhorados e os personagens nomeados.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário