Páginas

terça-feira, 1 de junho de 2010

Especial Blizzard!

Me desculpem por não postar o episódio 2 de Blizzard semana passada, então hoje tem episódio duplo!


Blizzard
2 - Procure por uma falsa realidade

  Anelisse parece que está se encaixando muito bem aqui na escola, infelizmente ela acha que aqui é somente como dizem os animes que são publicados lá no ocidente, tudo bem, parte até pode ser, mas talvez nem 100% seja somente isso, tipo meninas alegres e felizes que saem da escola e vão cantar no karaokê, apesar de que Tóquio é uma mega-cidade.
  - Tudo aqui é tão... maravilhoso! - dizia Anelisse para mim com um sorriso no rosto, sua felicidade era imensa, afinal seu sonho era visitar esta cidade - É verdade que, tipo, verdade mesmo? Não minta para mim, é verdade que Tóquio nunca dorme?
  - Pode-se dizer que sim, Tóquio é uma cidade bem ativa...
  - Isso é incrível! Amazing!
  Não pude deixar de perceber que Tomoyo estava vindo nos atazanar (novamente), e infelizmente eu tive que aturar tudo aquilo.
  - KYOU! Você já está iludindo a garota com suas idiotices! Você acha que ela irá a algum lugar neste mundo dessa maneira? Venha comigo! - disse ela tomando Anelisse pelo braço - Venha comigo.
  - Mas eu... - disse Anelisse tentando evitá-la.
  - Nada de mas! Venha!
  "She is a bitch" eu disse com meus lábios para Anelisse, que simplesmente balançou a cabeça concordando, pronto, hoje o dia seria maravilhoso, uma das minhas amiguinhas vai virar uma completa retardada... E aqui eu estou completamente sozinha, como no início do dia. Acho que o melhor a fazer é esperar a inevitável morte que me aguarda por esta maldita depressão.
  Frio...
  Acho que não estou com cabeça para ficar estudando, acho que vou para a biblioteca... Mas infelizmente eu esbarro em alguém.
  - Ah, me desculpe! - eu disse para a pessoa.
  - Meus óculos... Eu não consigo achá-los! - dizia a garota desesperada procurando eles pelo chão. Olhei para baixo e os encontrei perto dos meus pés.
  - Aqui estão.
  - Ah, muito obrigada! Vamos logo! - disse ela fazendo gestos com a mão.
  - Para onde?
  - Para a sala sua boba! Estamos aqui para estudar! - estava reparando que ela não estava ficando muito alegre com a minha atitude de não se mover. - Espera... Eu acho que te conheço, qual é a sua sala? 
  - 2-B.
  - Vamos.
  - O quê? Eu não sou obrigada a ir! Dia mais, dia menos eu vou morrer!
  - Essa realmente é uma desculpa esfarrapada. - Eu notei que dizer que eu ia morrer de depressão não seria um dos recursos para me ajudar a sair de qualquer situação.
  - Venha! - disse ela me empurrando.
  - Por que você está fazendo isso comigo? - perguntei para ela.
  - Você havia faltado há dois dias! Elegeram um representante de sala. Que sou eu!Yura. Um prazer.
  - Kyou.
  Ser infeliz é uma das qualidades com quais eu não quis nascer.

3 - Energia gelada

  - Você é extremamente chata, Yura. - eu disse como meu último recurso.
  - Obrigada pela parte que me toca, você deveria seguir o exemplo de sua amiga a Anelisse.
  - Aquela que foi sequestrada pela (--momento palavrão pesado--) da Tomoyo? - minha raiva estava bem explícita.
  - Você realmente a odeia não é? - disse Yura fazendo uma observação bem óbvia.
  - Ding-ding-ding! Parabéns você é a milionésima pessoa que me diz e isso e a centésima que me diz na cara! - eu já estava ficando cansada de toda essa palhaçada. - Aliás, pode parar de me empurrar agora.
  - Nada disso. - disse ela negando meu pedido - Kyou eu já fui representante na 4ª,5ª,7ª e 8ª série, eu conheço todas as manhas que um representante tem que ter.
  - Yura, você é feliz?
  Ela me deu um empurrão para dentro da sala.
  - Me desculpe Sawanaga-sensei. Eu tive que pegar esta infratora e evitar que ela cabulasse aula. - disse ela cabisbaixa indo para seu lugar. Será que eu a magoei com aquela pergunta? Será que ela não é feliz? Será que ela é assim para esconder sua infelicidade? De uma hora para outra me senti extremamente pena dela.
  - Obrigada Yura, Kyou sente-se.
  Sentei-me e vi Anelisse papeando com Tomoyo, pode dizer, estou mesmo com ciúme. Temos que assumir nossos defeitos, temos que fazer o possível para nos alegrar, fazer o possível para... Ai. Eu não consigo respirar compassadamente e que dor é essa em meu peito? 
  - Sawanaga-sensei! - eu disse levantando a mão.
  - O que foi Kyou?
  - Posso ir a enfermaria?
  - Kyou, você não vai cabular aula.
  - Mas sensei!
  - Não.
  Minhas mãos estão ficando mais frias, eu sinto como se algo que me importasse tanto escapasse de minhas mãos neste instante... Algo que apesar de ser pouco, ainda restava dentro de mim, algo que... sem sua presença... Por que está tudo embassado? Por que não consigo olhar fixamente para um lugar só? Eu não consigo respirar direito... Acho que vou cair, acho que vou chamar o professor... Estendo minha mão para chamá-lo, mas a dor é tão forte que me derruba.
  Está tudo doendo, está tudo escuro só consigo ouvir algumas vozes...
  - KYOU!
  - Ah meu Deus!
  Sinto o calor de alguém perto de mim.
  - Kyou? Kyou! KYOU! Alguém leve-a para enfermaria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário