Páginas

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Show do Paramore em Belo Horizonte 17/2/2011

Hora da Cobertura do Show em BH
Todos os créditos vão para os sites:
Fotos do Show
Você pode ver o resto das fotos nesse link:
http://paramore.com.br/galeria/thumbnails.php?album=578


Setlist

Praticamente a mesma da de Brasilia
Babados
Fã foge de casa para assistir ao show do Paramore
Quando Karina de Oliveira, 14 anos, saiu de casa, em Vitória, no Espírito Santo, na quarta de manhã, seus pais estavam convencidos que a menina iria para a escola. Porém, Karina já estava com a mochila pronta para fazer uma viagem. Ela foi a Belo Horizonte ver o show do Paramore. Ela chegou na rodoviária, comprou a passagem e passou as próximas horas dentro de um ônibus a caminho da capital mineira. “Eu pedi para ir ao show duas vezes. E eles falaram que não, que era semana letiva. Aí eu fiquei na minha. Fui guardando o dinheiro e, ontem, eu deixei um bilhete explicando o que tinha feito”, contou. Karina chegou a Belo Horizonte às 17h da quarta-feira, dia 16. Ela foi para uma “pousada” e, pouco depois, recebeu uma ligação. “Eles falaram que eram da rodoviária, que eu tinha esquecido uma bolsinha lá. Eu sabia que era mentira. Eu só tinha uma bolsa e não larguei ela”, disse.

Quem estava ligando era, na verdade, a polícia, que foi acionada por um amigo dos pais da garota em Belo Horizonte. Ela disse para a polícia onde estava e, pouco depois, um policial e um amigo dos seus pais estavam no local. “Ele me levou para casa e ligou para os meus pais acalmando eles”, disse Karina. Mais calmos, e com a certeza que a filha estava segura na casa do amigo, os pais de Karina decidiram deixar a garota ficar em Belo Horizonte para ver o show. Ela está na porta do Chevrolet Hall desde as 11h, esperando na fila a hora de realizar o sonho e ver o Paramore ao vivo, acompanhada de outras centenas de adolescentes.
Entrevista de Fãs
A palavra fã é uma abreviação de fanático. E só o fanatismo para explicar o comportamento de jovens que estão desde terça-feira em fila na porta do Chevrolet Hall, esperando o show da banda Paramore, que só acontece quinta-feira, 17 de fevereiro. O comportamento acabou contagiando os outros aficcionados pelo grupo e a fila original acabou tendo que ser divida em duas, que no meio do dia do show, já chegava a dar volta no enorme quarteirão que abriga a casa de show. 

Maíra Andrade, de 19 anos, foi uma das primeiras pessoas a chegar na terça-feira, por volta das 16h. "Isso é a minha vida, o Paramore é minha vida", justificou ela, que matou o trabalho para estar no primeiro lugar de uma das filas. "Se eu te falar que eu faltei o serviço três dias, você não acredita. E meu chefe está ligando 
demais, agora ele vai ver que eu tô aqui na fila. Agora não vai dar nem para falar uma desculpa", revelou a jovem. O amigo dela, Jonathan Assis, de 20 anos, estava do lado. Com a capa do segundo disco do Paramore tatuada no braço, ele explicou como os fãs estão fazendo para encarar a longa espera. "Estamos revezando na fila. Cheguei terça e fiquei até quarta, quando alguém segurou o meu lugar e eu pude ir para casa, tomar banho, dormir, e voltei hoje de manhã. Minha mãe sabe que eu estou aqui, é muita paixão que eu tenho por eles", detalhou. "O shopping virou a nossa segunda casa, quando alguém quer ir ao banheiro ou comer alguma coisa, corre lá e a gente segura o lugar", completou Maíra. 


Pouco atrás dos dois estava Luisa Marinho de Oliveira, de 17 anos. A garota de Ouro Preto que espera há quatro anos o show disse que os dias na fila é o momento da superação. "Hoje não vou sentir fome, não vou sentir dor, não vou sentir nada. Só amanhã. Hoje é proibido sentir qualquer coisa. Depois do show, está liberado", avaliou. 

Mas não é todo mundo que tem este gás todo. Caio Martins, de 17 anos, também desde terça, revelou que queria logo o início do show. "Está muito cansativo. Dormi na rua, a gente trouxe edredon e colchonete para aguentar porque de madrugada está fazendo frio", lamentou. Daniel Ferreira, de 17 anos, estava alheio à agitação ao seu redor e dormia, no primeiro lugar da outra fila. "Na maioria das vezes eu fico dormindo. Já me chamaram de mendigo aqui", comentou o rapaz. Ele aproveitou para detalhar pérolas da gastronomia local. "Você pega o miojo cru, quebra ele, joga o pozinho e come", ensinou. 

Perto dela, Rosane Souza destoava do resto do público. Aos 38 anos, a fisioterapeuta está acompanhando a filha de 13 também desde terça-feira. "Larguei a minha clínica, meus pacientes para estar aqui. Arrumei uma outra para ficar no meu lugar, para ficar aqui com minha filha", explicou a mãe-coruja. "Ela é louca pela banda há muito tempo. Comecei a gostar por causa dela, porque lá em casa é o dia inteiro. Eu sei tudo sobre a banda, a antiga formação, a nova", detalhou Rosane, que garantiu que não houve perigo na longa espera. "Foi super tranquilo, a polícia passava aqui toda hora, a avenida é movimentada, então favorece a segurança", revelou, enquanto era interrompida por adolescentes que cantavam em uníssono as músicas da banda de Hayley Williams. Haja empolgação. 


Clique AQUI e confira depoimento de fãs. 

Vídeos

Hayley e a banda só dando um oi

Hayley e sua boneca?
In The Mourning

Ignorance

Feeling Sorry

For a Pessimist, I'm Pretty Optmistic
Decode

When it Rains

Crushcrushcrush

The Only Exception

Brick By Boring Brick

Misery Business




This heart it beats... Beats for only you... My HEART IS YOURS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário