Páginas

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Platina JP: Retrospectiva 2012


É pessoal. Hoje é o ultimo dia de 2012. E para não deixar esse ano passar em branco, trago a vocês uma retrospectiva Platina JP 2012! Tudo que aconteceu neste ano relacionado ao blog! Vamos lá?

J A N E I R O

  Rapidinho, retornamos 11 meses no passado e... Nossa. Quanta coisa aconteceu. Eu digo, esse primeiro quadrimestre foi composto por fortes emoções, digo isso pelo grande desabafo que fiz no blog. Não foi fácil para mim... Também fui entrevistado pelo Paulo Cheng! A minha primeira entrevista!!! Também foi por causa desta entrevista, que conheci a Cissa e a Joicy! Em Janeiro também bateu uma de revista Caras e resolvi abrir a casa para vocês... Vocês conheceram o meu quarto, e o quarto da casa da minha avó, que aliás, teve a honra de ser a 1ª postagem oficial do Blog :D
Não esqueçam que em Janeiro também bateu uma de Ana Maria Braga aqui no Blogueiro e eu decidi ensinar o povo algumas receitas...

F E V E R E I R O

  E chegou fevereiro e com ele, o meus deveres chamaram toda a minha atenção. Deu para perceber, porém eu fui firme e tentei acompanhar todo esse vuco vuco... Recomecei as aulas no SENAI e vocês puderam ver pela a minha Fic-Diário as minhas aventuras naquela escola. Participei de uma guerra de balões frenéticas no SESI, que amenizou um pouco o relacionamento da minha sala, mas só um pouco u.u Lembram do Nanashi-san? O gatinho que eu achei na rua e de como foi sua breve história? E foi graças a ele que eu conheci a Jane e a Melyssa, sem falar que a Lechu-chan apareceu dando ótimas dicas para o caso. Ufa... Que mês!

M A R Ç O


E com março veio as correrias do meu dia a dia... Pode-se ver isso pelo pequeno número de vezes que eu postei, sendo que duas delas eram com a palavra VOLTEI no título. E já que toquei no assunto... Queria pedir desculpas para todos que comentaram no primeiro VOLTEI, eu deixei todo mundo na curva. Me desculpem mesmo. Depois que eu postei o primeiro VOLTEI, foi quase do tipo, VOLTEI e TCHAU e por isso nem vi se tinha comentários, fiquei sabendo que tinha comentários neste post quando eu comecei a elaborar a retrospectiva, logo não demorou para que o segundo VOLTEI aparecesse para explicar o sumisso do primeiro... Onde eu prometi mais do que pude cumprir, de novo... Pelo menos nesse mês eu conheci a Sabrina e o maravilhoso blog dela :D

A B R I L

  Abril foi um mês terrível para mim. No dia 4 desse mês minha Madrinha faleceu. E assim como em janeiro, fiz um post inteiro dedicado aos meus prantos. Não foi fácil, e não está sendo fácil, superei? Pode-se dizer que sim, mas de vez em quando bate uma nostalgia dela...Agradeço a todas as pessoas que me confortaram neste momento tão difícil... Em especial a Luciana, que me conheçeu neste momento tão ruim... Também neste mês ocorreu um bafão daqueles bem bafonicos a respeito da minha Fic-Diário que chegou ao seu ultimo e incompleto episódio este mês. O bafão foi todo pelo face, dizendo que eu não poderia continuar escrevendo pois de certa maneira estava denegrindo a imagem do SENAI. Ah, me poupe...

M A I O

  Maio foi um mês especial para o blog. Afinal, ele ficou mais velho e ganhou um layout novo, menos pesado e mais moderno. Dei início ao interminado Project Glow por falta de tempo e habilidades artísticas, porém fiquei muito feliz que para a Tsu e a Flávia a Hikari tenha ganho caracteristicas tão humanas que até parecia real. Não posso esquecer também que foi neste mês que eu tive a chance de ficar cara a cara com a diva do Jazz e Blues no Brasil, Taryn Szpilman. E ainda digo, se tiverem a chance de ver o show dela, não a disperdicem!


J U N H O

  Chegamos ao meio de 2012. Foi nesse mês que eu lancei a ideia de fazer uma paródia representando a blogosfera em seus problemas em comum. Unindo o Webhit mais trash feito com Auto-Tune desde a Rebbeca Black, a ideia do Blogger Problems foi lançada no ar. É claro, o mês foi coroado com mais uma postagem a la VOLTEI. Recheada com algumas fotos e novidades. Incluindo mais informações a respeito do Project Glow e de uma série de vídeos que estava realizando. Comparando tudo isso... Junho foi um mês até que paradinho para mim na Blogosfera...

J U L H O

  Julho, FÉRIAS! Awwwww YEAH! Julho trouxe a alegria de volta para o blog. Tinha tempo para postagens e de cuidar do blog e isso foi maravilhoso :D A paródia de Blogger Problems foi concluída, rendendo a postagem mais comentada do ano! Também após 6 meses de espera eu trouxe a receita do brigadeiro! Que, modéstia a parte, ficou muito gostoso :P No mês de julho também surgiu a ideia de blogagem coletiva lançada pelo Christian, com um tema bastante peculiar, que seria Espiritualidade, não participei por falta de informação... Mas a postagem de vários amigos meus ficaram incríveis! Como a da Jane, do Paulo Cheng, da Joicy e da Cissa.E já que mencionei a Jane, neste mês conheci a história do cachorrinho mais simpático do mundo, o Rock. Dei início a uma nova Fic, BH: A Casa Maldita e é claro... Foi o mês do meu aniversário!

A G O S T O

  Agosto = Fim das Férias. Mas isso não quis dizer que foi um mês de desgosto para mim... Rolou outra Blogagem coletiva, na qual não participei por motivos já bem conhecidos por todos, a razão dos meus sumiços constantes. Mas foi neste mês que dei notícias do meu livro. Foi também o ultimato que eu mesmo dei para a minha sala de aula, desci o pau em tudo que o povo fez esse ano, e mais uma vez fui entimado por denegrir a imagem da escola ¬¬'. Mas falando de coisa boa, a nova Tekpix eu fui para a Bienal do Livro! Onde eu quase me esbarrei com a Tsu! Pode falar... Não foi um mês tão desgostoso assim, foi?

S E T E M B R O ~ O U T U B R O ~ N O V E M B R O

  Bem vindo ao mês que praticamente aconteceu nada, nada, nada, naaaaaaadaaaaa neste blog. E sabe quem saiu perdendo? EU! E sabe o que rolou na blogsfera durante esse sumiço? Ah, nada menos do que vários concursos irados do blog da Snizhana, as escritas incríveis feitas pela Karina no Lullaby, postagens kawaii e aulas de japonês no blog da Mar-chan, poesias excepcionais feitas pelo Sandro no Rimas do Preto, as postagens cômicas da Bárbara, da Lu e da Keiko, os posts reflexivos do Rudy, os cosplays e artigos impecáveis do blog da Tsu, postagens e criativas e até o novo filho adotivo da Jane, umas e outras postagens da Joicy ;), as crônicas e as histórias da Cissa, e já que eu falei de histórias, por que não mencionar também o blog da Emília? E os posts lúdicos do Paulo Cheng e da Sabrina, hein? Eu perdi tudo isso e mais um monte de coisas...

D E Z E M B R O

  Dezembro... Ufa. Foi o fim da minha correria desenfreada. O último VOLTEI do ano teve sua vez neste mês, com o objetivo de esclarecer tudo e para auxiliar isso, nada mais justo do que a criação da série Hiato, contando em detalhes o que aconteceu nesses 3 meses em que não estava por aqui na blogosfera. Também foi o fim definitivo do SESI, é eu me formei... UFA! Também ampliei ainda mais o meu círculo de amizades na blogosfera com o Andy e seu blog curioso de se ler. Passamos pelo fim do mundo, decidi não postar nada a respeito, por que já basta todos os bafafás das redes sociais, mas em compensação fiz um post bem legal para o Natal, atrasado como sempre....

Nossa... 2012 aconteceu tanta coisa e eu ainda tenho a cara de pau de falar que passou rápido... Enfim, 2013 está bem na sua frente, vamos encarar novos desafios?

Feliz 2013!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Natal, Fotos e Mais Promessas

Olá pessoas!
Tá chovendo pacas aqui em Campinas... AAAAA GOD! Pois é... Tá uns trovões a la SESI... Eu digo isso, por que o meu SESI fica ao lado do SENAI Roberto Mange e lá é uma região mega arborizada, então imagina... Pra vocês terem uma noção, já deu relâmpagos e depois de 1,5 segundo o mega estrondo do trovão...
Enfim, vamos que vamos...

Em primeiro lugar, FELIZ NATAL A TODOS! Mesmo que esteja atrasado, antes tarde do que nunca... Essa é a árvore que eu queria comprar, mas não comprei, por que não tem espaço na sala de casa... Adoro árvores brancas...


Fiquei mega feliz com os meus presentes!
Dos meus pais ganhei a tão querida mesinha de Notebook que eu queria... Minha coluna agradece :)
É ruim ficar com o Notebook no colo... E ela tem até um porta mouse e luzinha :D


Também juntei uns moneys para comprar os CDs que eu queria :D




Eu comprei os CDs da Ke$ha [mim deixa] Warrior Deluxe Edition e I Am The Dance Commander + I Command You To Dance: The Remix Album, o da Kate Nash: Made Of Bricks, que tem umas músicas bem legais de se ouvir tipo Mariella.
De acordo com o Vagalume, eu sou um fã retardatário, por que não comprei Born To Die quando lançou e me senti motivado ao comprar o Born To Die: The Paradise Edition. Mas, vamos pensar: O álbum vem com a Edição Deluxe de Born To Die [Que passou longe das lojas brasilieras] e mais 8 músicas... Por favor né?
Também comprei os dois CDs do Best Coast: Crazy For You e The Only Place, dispenso comentários, banda ótima.
Depois eu comento melhor, cada um desses CDs individualmente.

E agora, a estrela da árvore de presentes...



Sim! Ganhei uma câmera nova! Sabe o que isso significa? Fotos melhores, com mais qualidade pra postar no blog, no face, twitter e para formaturas [NÉ PAI?]
 Enfim, advinhem com que eu estreiei a câmera?



Si, si, o meu gatinho Neko-chan :3

Mudando drásticamente de assunto...


(Se não enxergar, clica na imagem pra ver :/)

Verdade, isso foi muito vergonhoso.
Sabe por quê?
Vejamos...
2010 ~ 126 posts
2011 ~ 187 posts
2012 ~ 55 posts
Detalhe: os posts de 2010 começaram no meio de maio. Tá pode ser que a maioria dos posts daquela época foram inúteis e sem sentido, com umas fics horríveis. Mas, eu pelo menos frequentava o blog!
Prometo que em 2013 farei pelo menos mais posts que 2012!
Pelo menos nada! EU FAREI MAIS POSTS QUE 2012!

Fiquem ligados que no dia 31 rola a retrospectiva 2012 Platina JP!

#Nox

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

É... Acabou

É, gente... Acabou.

  Ontem foi a formatura do SESI 403, realizada no teatro da escola. Fui um dos primeiros a chegar lá. E já fui bombardeado de fotos... É duro ser famoso, vou te contar viu...
  Enfim, logo fui vestir a beca, colocar a capela e aguardar a minha família e meus amigos , porém chegou uma hora que estava todo mundo lá... menos a minha família. Sabe que horas que eles chegaram? Já estavam formando a fila para o pessoal entrar. Porém teve gente que conseguiu chegar atrasado...
  Entramos, sentamos nas cadeiras e ouvimos os discursos dos oradores do 9º ano do fundamental. Mas eu acho que nada se comparou com o discurso da oradora da nossa turma, que foi ninguém mais, ninguém menos do que a Carol. Modéstia parte, amiga, se você ler isso, mas você roubou toda a cena! Foi muito lindo, cada palavra, cada vírgula, você realmente representou a todos nós.
  Depois teve o discurso dos paraninfos, e adivinha quem foi o paraninfo da sala? O Professor Robson de Filosofia! Eu não imaginava... Porém, senti a falta de vários professores como a Célia de História, o João de Geografia, a Iara de Português, o Wagner de Física... 
  No fim teve a entrega dos canudos e muito mais fotos... E por tocar no assunto... Nenhuma foto da minha câmera ficou boa =/ #Lastimoso. Nenhuma mesmo. Foto com professores, da formatura, tudo!
  Porém foi uma formatura digna do SESI. 
  Teve até direito a queda de luz e aparição de artrópodes na saída - a Kibe que o diga, por que eu não vi barata nenhuma, até chegar em casa XD.

  Vou sentir tanta a falta de vocês... Espero que a gente não se separe nunca :) Foram tantas risadas, tantos constrangimentos na rua e no shopping rsrsrs, choramos, brigamos... fizemos de tudo um pouco. Realmente, quando falam que o colegia é a melhor época da pessoa, não é mentira.

 

domingo, 9 de dezembro de 2012

Hiato #1 - Neighbors From Hell

Eu não queria começar a série Hiato com esse assunto, mas, hoje aconteceu algo que realmente me forçou a escrever sobre esse assunto hoje u.u


#1 - Neighbors From Hell

  Antes de começar, sim, me inspirei na série animada exibida no FX.
  2012 prometia uma vida pacata para todos, uma vida tranquila - tá bom, foi um pouco agitada, mas em sua maioria, eu pensei que viveriamos tranquilos. 
  Ao lado da minha casa há um terreno vazio, desde que eu me mudei para cá o terreno sempre foi meio abandonado e passava de dono em dono, até um certo dia... Dois meses atrás, uma mulher comprou o terreno e finalmente decidiu construir alguma coisa lá. Legal, teríamos mais vizinhos. Confesso que fiquei animado. Porém não deu dois dias para que a animação se desfigurasse.
  A mulher cismou que o seu relógio d'água tinha que ficar em tal parede e justo nesta parede, estava a lixeira da minha casa, o que ela fez? Simplesmente arrancou. Não pediu permissão, nem falou nada com ninguém. Colocamos de volta a lixeira e em uma semana, a mulher teve a audácia de arrancar a lixeira por inteiro, digo de arrancar TUDO, não deixar nem a haste de metal e ainda colocou na frente da casa da minha avó! [Eu moro nos fundos]
  Então as faíscas começaram a surgir... Todo dia, uma gritaria diferente saía do local, até que a casa dela finalmente foi construida e ela chamou toda a família pra morar. 
  Gente só saía barraco de lá! Eu não sabia se dava risada por causa das razões futeis ou se ficava preocupado, por que os barracos eram mesmo da pesada.
  Porém, em um pacato dia, às 17:00 o filho da doida, inventa de tacar pedras pelo muro, tentando quebrar alguma janela de casa e logo em seguida, pegou um cano de PVC e começou a gritar: FILHA DA PUT@! Minha paciência tem limite, eu tive uma vontade tremenda de mandar as pedrinhas goela abaixo do moleque pelo cano ¬¬', mas minha mãe falou para a gente não se rebaixar ao nível dele. Eu rebati falando que se a gente não tomar providências, nada vai mudar, ela respondeu que iriamos esperar, eu já estava fervendo e falei: Esperar até quando? Até matarem o gato? Se a gente esperar a mãe dele chegar em casa, ele vai desmentir tudo depois!
  Depois resolveram inventar de colocar uma piscina na laje, fazer um churras e tocar pagode ozados e alegres... Eles falam que é preconceito julgar uma pessoa assim, mas não posso fazer nada se eles honram o próprio estereótipo, porém esse não é o problema, o problema é que a privacidade se reduziu a níveis alarmantes do tipo, quase se rastejar pelo chão para trocar de roupa... É, a laje deles é quase um camarote para ver a minha casa... Agora eu sei como é viver em um Big Brother, valeu George Orwell...
  Nesta última semana, providências foram tomadas! Decidimos erguer 80cm do muro. Fiquei animado com a ideia, mas depois que aconteceu hoje, 80 cm não é nada. O filho da vizinha quase pulou o muro...
  Moro nesta casa há praticamente 12 anos. NADA pertubou ninguém, todo mundo é amigo de todo mundo... Mas agora recebemos um teste de paciência e tolerância, mas é como eu disse na redação do Saresp: O país não irá para frente se ficarmos passando a mão na cabeça de quem não merece.
 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Return...

Olá pessoal!
Tudo bem com vocês?
Nossa, faz tipo, um mega tempão que eu não dou as caras por aqui, né?
Nossa, gente... Finalmente, a maratona de vestibulares de 2012 acabou, mas não desanimem, se tudo correr bem 2013 tem mais!
Fiquei tanto tempo fora, que as postagens se acumularam aos montes!
Olha, depois da bienal do livro, bem...
 Eu fui para São Paulo duas vezes ver eventos muito loucos do SENAI;
Altos rolos no SESI;
Descobri que a água pode virar vinho nos 45 do segundo tempo;
Fui num evento de anime super legal em Campinas;
Sofri muito esse semestre no SENAI;
Vi um show de rock loucasso exclusivo no SESI;
Conheci a Tulipa Ruiz;
Enfrentei de cara erguida os piores vestibulares do estado;
Aprimorei muito meu gosto musical;
Minha biblioteca pessoal ficou mega carregada de livros;
Andei fazendo a festa pelos sebos da cidade;
E várias outras coisas que eu provavelmente não estarei me lembrando agora... :/
Enfim, isso quer dizer o início de mais uma nova série no blog...


Nessa série, eu irei contar com mais detalhes, tudo que aconteceu durante esse meu sumiço. TUDO. 
Se preparem por que nos próximos posts... Sentem que lá vem história...

domingo, 9 de setembro de 2012

I said I don't care


I said I don't care


  Já fazia um tempo que eu queria postar sobre isso.
  Conheci Nana Rizinni por acidente. Acho que ainda eram férias de janeiro [Ô, saudades daquela época >.<], liguei a TV e sabe quando você está tão cagado que quando liga a TV exatamente naquele momento voltou o programa do intervalo comercial? Pois é. O programa era na Vh1: Neo.Música Nova e bem nesse instante, começou a passar o vídeo de Sao Brooklin da Nana Rizinni com a Nello Luchi. Me interessei e resolvi assistir. Gostei muito mesmo!
  Rapdinho entrei no site dela, e achei para download seu EP Bacoon Eggs de 2009 e o seu álbum I Said de 2011, não tive muito tempo para ouvi-los, tava na correria do dia-a-dia, se bem que correria é eufemismo para o que passo [Eduardo, por favor, sem Maria do Bairro OK? Dramático...] Porém, o dia em que eu ouvi as músicas eu parei e pensei... Era isso que falta na música brasileira, especialmente no Rock. Meio português, meio inglês, a combinação perfeita! E quem gosta, adora fuçar, e fuçando pelo Youtube, eu achei um vídeo, que está até no canal da própria, sobre sua aparição no Profissão Repórter em 2009... Quem diria hein? Toca em 5 bandas, professora de inglês e dá aula de bateria... NOSSA! E eu achei que a minha vida era um malabarismo, se a minha é um a da Nana é um circo inteiro!
  Nana decidiu lançar-se na carreira musical em 2009 e até agora, faz bastante sucesso, conquistando todo mundo que ouve sua música. Vou até confessar, comecei a gostar mais de música brasileira devido á Nana. É verdade, depois de Nana, comecei a ouvir Tiê, Karina Buhr, Thiago Petit, Tulipa Ruiz, Criôlo... Era o que eu precisava saber para descobrir finalmente que a música brasileira não estava totalmente em processo de naufrágio, há muita gente que faz um putz esforço para que isso não aconteça. É que a mídia nos lota de Michel Teló, Gusttavo Lima, Valeska, Restart, que ás vezes esquecemos que não é só isso que tem de música o país. Os sintomas pioraram, comecei a ouvir cada vez mais Ana Carolina, Seu Jorge, Marisa Monte, Cássia Eller, Legião Urbana e até Cazuza! Agora eu estou escutando com muito mais frequência a Nova Brasil FM, que realmente é muito gostoso de ouvir!
  Tudo que tenho á dizer é, agradecer a Nana por ter iniciado tudo isso, uma revolução geral nos meus gostos musicais e até mesmo uma pequena vontade de entrar nessa carreira, mas isso é assunto para outro post...

Deixo com vocês 4 videos da Nana


Bacon Eggs, o vídeo do EP homonimo de Nana, simples, divertido e gostoso de ouvir


Ardidas, música que abre o EP Bacon Eggs e que me causou a impressão de que Nana é realmente FODA!


Better Than Nothing, do álbum I Said, com participação da Tiê e da Roberta Youssef. Curiosidade: O vídeo de Para Alegrar o Meu Dia da Tiê foi gravado no mesmo local, só que de dia :)


No show de estréia do álbum I Said, Nana Rizinni cantou junto com ninguém mais, ninguém menos do que Karina Buhr, a música Ciranda do Incentivo. A música ganhou um cover remix para o álbum. Que cá entre nós, não consigo decidir qual versão é melhor :D


E.M.D.

sábado, 1 de setembro de 2012

BH - A Casa Maldita, Capítulo 4

4. Quebra-cabeça
            Estávamos no que parecia ser a cozinha. Mal iluminada, o que dava um contraste com a sala de jantar que era totalmente bem iluminada. A nossa sorte é que trouxemos lanternas.
            O local tinha um cheiro incrivelmente absurdo de comida putrefata, pude perceber quando apontei a lanterna para a parede onde ficava uma bancada de metal com superfície de madeira. Vi vários animais em estado de putrefação total, na verdade não eram animais, mas sim suas carcaças, era uma fauna extensa desde um simples frango para um cordeiro, todos pendurados por um arame que ia de uma parede á outra.
            Nesse instante todos começaram a explorar o local. Segui adiante, queria ver o que tinha na bancada.
            Sangue, muito sangue, tanto que tinha até na parede branca mofada. Julgo ser sangue animal, também vi várias facas ensanguentadas espalhadas pela bancada. É incrível saber que quem sentaria naquela sala de jantar toda chique comeria uma refeição que foi preparada aqui. Tenho minhas dúvidas se isto foi limpo pelo menos uma vez na minha vida, porém a dúvida se torna uma certeza ao ver duas baratas passando pela bancada.
            Olhei para Jenny, ela ficava olhando uma panela no fogão, que aparentava ser bem rústico, porém usava gás, como pude ver pelo botijão ao lado. Me aproximei dela.
            — Eu não ouso olhar o que tem aí dentro... — falou Jenny tentando ser engraçada ou falando sério mesmo, não deu para perceber pelo seu tom de voz.
            — É capaz da gente abrir e sair uma mariposa de dentro. — falei brincando, porém do jeito que ela olhou para mim, percebi que ela estava falando sério mesmo...
            Decidi me afastar. Assim, eu pouparia Jenny de ouvir mais piadinhas sem graça. Decidi ir aonde Chowder estava. Chowder observava o armário, abrindo várias gavetas e portas. Vi vários talheres enferrujados, panelas que nunca ouviram falar de água e até mesmo pratos quebrados.
            — Acho que eu senti alguma coisa... — disse Chowder tateando a parede, rapidamente Jenny e eu apontamos nossas lanternas para a mão de Chowder, aparentemente ele parecia estar tocando na parede, o que seria moldes de triângulos, um do lado do outro, porém com um espaçamento pequeno entre eles... A imagem formava um octógono. Também percebi que havia uma caixinha de metal do lado inferior direito desse octógono, Chowder tateou, tentou abrir e arrancar o objeto, mas estava fortemente grudado na parede.
            — O que isso poderia ser? — perguntou Jenny quando se afastou um pouco e percebeu que pisou em algo, sem pensar duas vezes, apontou a lanterna para o chão e viu um triângulo branco no chão e pegou-o — Hum... Um triângulo branco feito de acrílico... Chowder... Tenta encaixar o triângulo em um desses moldes.
            Jenny entregou o triângulo para Chowder que pro sua vez, o colocou no molde. O objeto havia se encaixado perfeitamente.
            — Hum... — disse Jenny pensativa — Seria isso uma espécie de porta ou algo do tipo?
            — Será? — indagou Chowder — Não consigo imaginar isso aqui abrindo.
            — Acho que eu entendi... — comentei — Se quisermos abrir a porta, devemos completar esses moldes com os triângulos, certo?
            — Acho que sim... — falou Jenny — Vamos procurar.
            Vasculhamos cada centímetro quadrado da cozinha, não achamos nada além de baratas, ratos, e muito sangue.
            — Já pensou que os sete triângulos que faltam poderiam estar espalhados pela mansão? — disse Chowder.
            — Será mesmo? — falou Jenny com um pouco de indignação — Vamos ter que vascular esta mansão de cabo a rabo? Gente... Tem noção de como isso aqui é grande?
            — Quanto mais cedo vasculharmos este local, mais rápido acharemos uma saída deste lugar... — disse Chowder abrindo a porta que levava para a sala de jantar.
            — Uma coisa eu tenho certeza... — falou Jenny entrando novamente na sala de jantar — Se estiver neste lugar aqui, não vai estar dentro daquelas gavetas, eu não acho que deixaria de notar um triângulo de acrílico, não é?
            — Mas será que olhamos embaixo da mesa, nas cadeiras, atrás dos quadros? — falei levantando o pando da mesa.
            — Affs... Isso vai ser longo... — disse Jenny tirando um quadro da parede.
            Olhamos tudo. Embaixo da mesa, nos assentos e embaixo deles, atrás de todos os quadros e até mesmo procuramos por algum lugar em que ele pudesse estar dentro da parede, desistimos e voltamos para o hall de entrada.
            — Gente... — falou Jenny — Eu sei que combinamos não nos separarmos, mas se resolvermos procurar em todo canto juntos iremos demorar de mais. Vamos ter que nos separar...
            — É o jeito... — concordou Chowder.
            — OK, então acho que vou procurar nesta porta da direita aqui mesmo no térreo — falei conformado.
            — Eu subo a escada da esquerda no primeiro andar. — falou Chowder.
            — Então acho que sobrou para mim a escada da direita... — disse Jenny — Qualquer coisa, temos nossos celulares. Mandem uma mensagem ou deem um toque ao ver qualquer coisa suspeita, OK?
            — OK — falei eu e Chowder juntos.
            Dito isso, cada um seguiu seu caminho. Me dirigi para a porta grande da direita, e me deparo em um corredor que tem uma esquina e uma sombra que se movia constantemente, para a minha sorte...

domingo, 26 de agosto de 2012

Última Chance


Antes de começar esse post, eu queria me desculpar, por não poder visitar e comentar em seus blogs, aqui está uma correria maluca! Vocês nem imaginam... TT^TT

Última Chance

  Exatamente quinta-feira passada descobri que minha sala fará algo inusitado no Interclasses 2012. Iremos cantar na abertura. OK. Tenho dois pontos para observar diante desta informação:

1 - Paticipei diretamente nos Interclasses 2006 e 2007 no show de talentos *cantei... que vergoooooonha* e nos Interclasses 2008 e 2009 na categoria xadrez - fiquei em 2º lugar na primeira e em 3º na segunda* Depois dos Interclasses 2010 para frente nunca participei... No que eu quero chegar é: Nesses 7 anos de interclasses em que participei, nenhum deles teve uma abertura própriamente dita.
2 - E por que o 3º Ano vai cantar?

  Alguns podem pensar: Ah, é por que é o 3º Ano... São formandos, eles tem que deixar sua marca na escola. Me chamem de antiquado ou seja lá o que for, mas eu acho ridículo ficar falando para fazer maluquices ou qualquer outra coisa tudo por que é o 3º Ano. 
  Em alguns posts eu tentei, tentei mesmo, mostrar que eu não queria ter a visão de que a minha sala é a pior de todas, de todas as salas que o Ensino Médio do SESI 403 já teve.Digo isso, por testemunhas de alguns professores, coordenadores e até mesmo da própria diretora e da minha própria observação.
  Então eu fico pensando, seria essa uma última tática de todas de fazer o 3º Ano se unir? Para mim soa como uma. E cá entre nós, não quero cantar. Iríamos cantar 2 músicas gospel, 2 músicas sertanejas, 1 música rock e outra pseudo-rock, e uma de reggae. Sério, se a sala fosse legal eu faria um esforço enorme para cantar gospel, sertanejo e o pseudo-rock. Sou católico e talz, mas a minha sala canta gospel aos 7 ventos como se fosse a coisa mais natural do mundo e depois todo mundo fica se odiando. Onde já se viu isso? Falar que ama Deus e Jesus e depois só querer o mal do próximo? Enfim, não quero me aprofundar nisso.
  Sim e bato na mesma tecla, há uma grande falta de respeito com a sala. Duas amigas minhas foram chamadas de cachorra e vaca respectivamente. Sem falar de brincadeira completamente indevidas feita entre si e é claro, a falta de respeito com professores, é algo tremendo. Tantas pessoas queriam ter a oportunidade de estar estudando lá e o pessoal só vai para vadiar! É uma escola tão boa, um ensido tão bom... Vocês deviam ter visto a quantidade de pessoas que foram embora sexta-feira após o intervalo só para não assistirem a aula de espanhol!
  Na hora de escolher as músicas, brinquei com o Oswaldo dizendo que a gente devia cantar 4'33'' e Chris Nicoloti.
  Se for para cantar, ficarei lá no fundo de bico calado. Me recuso á cantar com uma sala dessas, é meu protesto. 
  Cada dia mais, anseio pelo dia da formatura.

E.M.D.

domingo, 19 de agosto de 2012

Bienal do Livro 2012


  Oi gente!
  Eu sei... Eu sumi, acontece que deu uns problemas na minha internet e fiquei incomunicável até ontem...
  Enfim, hoje eu venho falar da Bienal do Livro 2012 que aconteceu em São Paulo no Anhembi. Nunca tinha ido em uma bienal e tive a grande oportunidade de ir com a escola. E agora vou apresentar á vocês os meus companheiros de viagem (Alguns deles vocês já conhecem)

Os palhaços Kibe e Oswaldo XD

Ok... Da esquerda para a direita....
Na frente vemos o Igor e o Andrey
Logo atrás a Fran com o namorado dela o Renan, a Kibe, a Thaís e Carol com cara de sono
Depois vem a Mayara, Nathália, Thaís Garrido e Eu
Ah e lá no fundão, em pé, está o Nicholas.

A viagem foi tranquila, a gente riu muito - como se isso fosse novidade - e aproveitei para tirar fotos do céu, que aliás estava lindo :D

Estava formando um céu nublado... Adoro quando o céu fica assim...

Quando eu cheguei lá fiquei tipo... OMG! Esse lugar é gigante!
  Imagem entrar em lugar enorme onde tudo é voltado exclusivamente para a literatura! Fiquei muito eufórico, porém o que tinha de livro, tinha de gente, estava muito cheio.
Outra coisa ruim foi o tempo que a gente teve, chegamos lá era 15:00 e voltamos para o ônibus tecnicamente 16:50 - tecncicamente, por que não foi bem assim...
   Visitei várias estandes como a da Intrínseca, estava pensando em comprar a Twilight Graphic Novel 2, mas aí eu parei e pensei... Pensa um pouco Du, você vai pela primeira vez á Bienal do Livro para comprar Crepúsculo em mangá? OK, a desenhista é fueda, mas não vale a pena gastar R$20,00 com esse mangá, há muito mais coisa legal. 
  Foi o que eu fiz... Procurei o livro Amanhã 4 e Eragon, que facada nas costas... Depois de conferir o preço quase fiquei desistimulado de comprar os livros... 
  Depois a gente sentou para lanchar e logo em seguida chamei o Oswaldo para comprar alguns livros aí fizemos a festa! Comprei um livro sobre mitologia japonesa junto com ele, depois comprei o livro Starters e um sobre a Segunda Guerra Mundial. Ele comprou Sol Negro e Como Desenhar Criaturas Mitológicas.
  Faltava apenas 5 minutos para o pessoal se reúnir e eu não tinha achado a estande da Comix, foi aí que encontrei minha amiga do 1º Ano a Isabela, aí a gente foi correndo pra estande, fiquei na fila enquanto ela procurava o Livro e o Mangá, e voltamos o mais rápido possível. Aí vem a decepção... Ficamos uns 20 minutos esperando... Dava para eu e ela irmos numa boa :/

  Na volta foi a parte mais comédia, passou vários ônibus escolares e as meninas do 2º ano que estavam junto com a gente começaram a despirocar... Porém eu acho que o nosso ônibus passou do lado de um caminhão militar umas 5 ou 6 vezes e foi muito engraçado ver a Kibe ficando louca quando passou o caminhão... Acho que a cara dela era mais ou menos assim:





Agora vamos falar sobre o que eu comprei...



As Melhores Lendas Japonesas, de Carmen Seganfredo (Editora Artes e Oficios), esse foi direto de Porto Alegre! A vendedora foi muito gentil com a gente, o livro tinha um desconto muito bom, tanto que quando eu paguei coletivamente com o Oswaldo, cada um pagou acho que R$15,00! Acho que nem precisa falar sobre o que este livro se trata não é? O que eu posso dizer é que ele está recheado com muitas lendas! Dei uma olhadinha rápida e pelo que vi, promete! Será que vai ter a lenda da Hanako ou da Kuchisake Onna???
Starters, de Lisa Price (Editora Novo Conceito), eu vi esse livro na estande da editora e ele me chamou muito a atenção, ele estava em destaque como lançamento, logo após o livro Estilhaça-me que aliás depois que li a amostra grátis que veio no Startes, fiquei com vontade de ler... O livro fala sobre algo que me chama muito a atenção, Biotecnologia. O Booktrailer avisa: PREPARE-SE! Você está prestes a ser inserido na vida de outra pessoa. Me diz se esse livro não promete! E ainda traz a recomendação do The New York Times: Fans de Jogos Vorazes vão adorar... Eu sou um fã de Jogos Vorazes... Então... Agora é só ler, né?
 Enigmas e Mistérios da Segunda Guerra Mundial, de Jésus Hernández (Editora Madras), quando entrei nessa estande junto com o Oswaldo, eu reparei um forte cheiro de incenso. A Editora Madras trata bastante sobre Guerras, Mitologia e Regiliosidade, tanto que foi lá que o Oswaldo comprou seus dois livros. A Segunda Guerra sempre me fascinou, eu sempre fiquei cuiroso para entender seus motivos e ainda mais seus enigmas e mistérios... O que será que aconteceu de verdade, hein?
Resident Evil: A Conspiração da Umbrella, de S. D. Perry (Editora NewPOP), sempre procurei por este livro e só achava ele em inglês, não que ler ele em inglês fosse um problema, eu só estava esperando o momento certo, aí eu descobri o livro! Finalmente! Faz o que? 10 anos que a S. D. Perry escreveu o livro e só agora ele vai ser publicado no Brasil? Demorou!
A história segue fielmente a trama do jogo de Playstation lançado em 1997. E nem preciso dizer como acho Resident Evil foda, se não, nem estaria escrevendo a fanfic BH.



Resident Evil, Biohazard: Marhawa Desire, de Naoki Serizawa (Panini Comics), fico feliz em saber que tem um mangá de Resident Evil e que eles mantiveram o nome original do game, que é Biohazard (Daí veio o nome da fanfic: BH, Biohazard), eu já li a história e garanto... Vale muito a pena ler. Pelo que entendi, a história se passa em um meio termo entre Resident Evil 5 e Resident Evil 6, pois há a presença do oficial Piers da BSAA, que não aparece no RE5, e sim no RE6. É só uma suposição, mas super recomendo esse mangá!



  Vou fazer alguns trabalhos escolares agora u.u... 
E.M.D.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

BH - A Casa Maldita Capítulo 3

Pessoal, antes de começar com o post eu queria dar um pequeno aviso...
Adivinha quem vai na na Bienal do Livro nesta quinta dia 16???
Isso mesmo, Yo!
Vou tirar muitas fotos e ver muita coisa legal! E faço um post bem legal sábado OK?
Então vamos ao post...


3. Umbrella
            — E o que este “pedaço” de diário diz Jennifer? — perguntei.
            — Por favor, você não está falando com sua chefe ou algo do tipo, pode me chamar de Jenny... — falou Jenny olhando fria para mim.
            — O...k, mas enfim, o que isso fala?
            — Hum... Vejamos aqui...
            ... experimentos correm bem, as cobaias parecem reagir bem, apesar de que notei leves sinais de putrefação em alguns. Espero que não realizem antropofagia. Isso seria terrível para o desenvolvimento do experimento. Mandei o relatório para a Umbrella, espero que achem melhor continuar a desenvolver esse experimento. Afinal, não queremos que o desastre de Raccoon City aconteça novamente...
            — Acabou... — falou Jenny perplexa ao observar a folha.
            — Tem algo escrito no verso? — perguntei á ela.
            — Deixe-me ver...
            ... isso poderia complicar mais ainda a situação da empresa. Terei que concluir isso o mais rápido possível, não poderei ficar muito tempo por aqui.
            — Se for o que estou pensando... — falou Jenny sozinha — Mas seria mesmo? É tudo verdade mesmo?
            — O que é verdade? — perguntei.
            — Há algum tempo, ouvi rumores a respeito sobre esse tal desastre de Raccoon City.
            — Hum... Claro, todos ouvimos. Ouve um grande vazamento de gás e a cidade inteira explodiu! — falou Chowder como se fosse algo que todos soubessem.
            — Isso foi o que a mídia divulgou — falou Jenny — Mas eu já ouvi falar em algo relacionado a isso. Disseram que a Umbrella mantinha um laboratório clandestino na floresta de Raccoon City, por alguma razão, este vírus que estava sendo desenvolvido neste laboratório, chegou á cidade. O vírus transformava pessoas em antropófagos, canibais. As forças armadas não conseguiram conter o ocorrido e tiveram que explodir a cidade para que a contaminação não se alastrasse por outras cidades.
            — Isso é meio teoria da conspiração contra a Umbrella, não acha? — falei meio desconfiado.
            — Pode até ser... Mas faz todo o sentido! Olhe só! — disse Jenny apontando para o papel — Espero que não realizem antropofagia. Ele não poderia estar falando de outras criaturas á não ser humanos!
            — Por quê? — perguntou Chowder — Qualquer criatura pode ser um canibal!
            — Não um ser antropófago. — olhou Jenny séria, porém preocupada.
            — E o quê esses seres antropófagos tem de tão especial? — perguntou Chowder desconfiado de Jenny.
            — Antropo vem de homem, fagia vem de comer, alimentar-se — explicou Jenny.
            — Quer dizer então... — vacilei um pouco ao dizer isso — que se esse tal experimento apresentar sinais de antropofagia, quer dizer que ele começará a se alimentar de humanos?
            —Sim PJ... — falou Jenny séria.
            — Agora faz todo o sentido... —falei pensativo — Quando fiz um trabalho sobre Os Estados Unidos nos anos 90, a Umbrella estava sempre aparecendo, sempre, porém nesta última década, não se ouve mais nada a respeito deles.
            —A empresa fechou pela fama que recebeu devido á esse incidente? — perguntou Chowder.
            —Provavelmente sim... — disse Jenny pensativa — Qualquer empresa desapareceria após o que aconteceu. Minha pergunta agora é... Esse papel é velho, mas não aparenta ser tão velho assim a ponto de ter sido escrito nos anos 90... Esse diário que ficou aqui nesta gaveta... — disse Jenny alisando a gaveta, sentindo sua textura e todo os detalhes que ela tinha — Seria o relato de uma tentativa de achar uma cura para esse incidente ou para criar algo maior...?
            — Não sei... — falou Chowder se espreguiçando —Mas acho que não vamos conseguir achar as respostas se ficarmos aqui. Não há nada de especial ou espantoso... Você viu pelo menos as outras duas gavetas da cômoda?
            —Não... — falou Jenny como se tivesse visto as outras duas gavetas agora.
            Jenny tentou abrir a gaveta do meio, estava trancada e não havia sinal de chave nenhuma por perto. Porém ao abrir a última gaveta, encontrou apenas munição de armas. 3 cartuchos com 12 tiros cada. Sem pensar, pegou-os e entregou um para cada um.
            — Por que você nos deu isto? — perguntei estranhando-a.
            — A situação está ficando pior do que imaginava... — falou Jenny, a Umbrella não é uma empresinha farmacêutica qualquer, se esta foi a mansão de alguém que tem um alto cargo lá? Ou pior, de um cientista que faz os estudos nesta mansão... Se houver mesmo cobaias, que garante que elas não estão soltas pelo local?
            — Não temos armas Jenny — falou Chowder.
            — Eu sei... — disse Jenny colocando seu cartucho na mochila — Se encontrarmos uma arma, quais são as chances de encontrá-la totalmente carregada?
            Eu e Chowder nos entreolhamos, as palavras de Jenny foram absolutas.
            — Vamos? — disse ela abrindo a porta que ficava á direita da lareira.