Páginas

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Biennium

Biennium

            Não tenho uma boa noção de tempo.
            Acho que este pode ser o melhor jeito de começar, simplesmente não tenho noção de tempo. Dois anos ás vezes passa como dois segundos, cinco minutos que demoram dois anos para se concretizarem.
Não sei por que vejo assim. Tenho plena consciência de que dois anos são praticamente muito tempo, mas ao mesmo tempo não. Por que será que eu fico preso a essa dúvida, a essa incógnita?
Em dois anos vivenciei tanta coisa e ao mesmo tempo não vivenciei nada. Sorri, chorei, briguei, amei, mas parece que algo ainda falta. Em dois anos, pude ver como a morte é horrível e como conseguimos se acomodar a tal situação, como se fosse algo do dia-a-dia quando sabemos que claramente não é. Compreendo que a morte é algo inevitável, mas se acomodar com isso, não é.
Aprendi como a falta de uma pessoa pode te amargurar a ponto de se afastar de outros que são importantes para você, um vazio que só durou um ano, mas que parece que já foram dois, três, décadas.
Vi como um sorriso pode inverter totalmente o quadro de certas situações, é curioso viver dois anos rindo, rindo para afastar a tristeza, rindo para ser feliz, rindo para se sentir vivo.
Dois anos vivendo uma estranha lei da física, atraindo e repelindo momentos, pessoas, memórias. Receio ter caído em um loop contínuo, sempre repetindo, como se o meu botão replay estivesse emperrado. Atraindo e Repelindo... Nem sempre atraindo coisas boas ou repelindo malefícios, mas sempre seguindo esta mesma ordem, independente do que seja, até mesmo a chave para quebrar essa situação, seguir em frente.
Lutei comigo, é tão engraçado como podemos ser o nosso melhor amigo e no próximo segundo se tornar o próprio pior inimigo, dois anos lutando. Porém me resta uma série de perguntas: A luta acabou? Continuo neste loop, ou são apenas as sequelas de ter se libertado? Por que tudo isso? Por que comigo?
730 dias para refletir, tão pouco tempo. Quase duas décadas vivenciando e coletando experiências, mas apenas dois anos para chegar ao núcleo de todos os problemas. Dois anos para tentar chegar a uma conclusão. Dois anos para caminhar. Dois anos para renascer.
 
\~---x---~/

Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva, ideia do Christian V. Louis do blog Escritos Lisérgicos, cujo o tema é Dois Anos.
Se caso interessou-se pelo projeto, você pode se informar mais a respeito clicando na imagem abaixo.
Corre que ainda dá tempo de participar!


Espero que tenham gostado do texto e até o próximo post!

16 comentários:

  1. Lidar com a morte é mesmo pedreira. É difícil pra caramba enfrentar o fato de jamais poder ter o ente consigo nem mais uma vez.

    Mas é assim, as pessoas se vão.

    Ótimo texto. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andy.
      E o pior é que mesmo quando achamos que superamos a perda é quando vemos que nem chegamos perto do que esperávamos :/
      Obrigado.

      Abraços

      Excluir
  2. Olá, Eduardo
    Gostei demais dos seus questionamentos e é prova da sua grande capacidade de reflexão diante da vida que o requer...
    Parabéns!!!
    Pessoas intensas são as que mais têm interrogações para si e para nos oferecer...
    As respostas só podem estar dentro do seu coração... ninguém as pode lhe dar...
    E vc, certamente, as colherá no seu devido "tempo"...
    Bjs fraternos de paz e pascais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Orvalho do Céu!
      Agradeço os elogios.
      Eu costumo procurar muito mais por perguntas do que simplesmente aguardar respostas.
      É como eu digo no texto: apenas dois anos para chegar ao núcleo de todos os problemas, quantos anos demorará para eu encontrar a resposta dentro de mim?
      bjs

      Excluir
  3. Olá Eduardo, estou participando da blogagem e ler tua participação e conhecer teu espaço. Gostei demais do teu texto e dependendo do decorrer dos fatos cada uma tem uma sensação diferente de medida tempo. Quanto mais coisas boas, o tempo passa rápido, quanto mais coisas ruins, parece que o tempo pára... Pelo meno comigo é assim. Prazer e parabéns por participação. Bjus
    => Gritos da alma
    => Meus contos
    < => Só quadras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nádia!
      Eu fico pensando que talvez essa tenha sido a ideia do Christian, a sensação, a percepção, a diferença de dois anos de uma pessoa para outra.
      Prazer em te conhecer e parabéns pela sua participação, gostei muito de ler :)
      bjs

      Excluir
  4. Olá, Eduardo... nossa natureza tem sede de vida e, mesmo sabendo que a morte é certa, nunca nos acostumamos ou aceitamos, seja em dois anos, duas décadas ou dois séculos.

    Parabéns pela participação na BC do Chris, também estou participando e espero sua visita.

    http://palavrasdevalquiria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Valquíria!
      É verdade, por mais que a saiba disso, sempre queremos fazer o máximo para viver e nunca vamos aprender de fato que a morte faz parte da vida :/
      Fiquei curioso para ler seu texto, vou dar uma lida nele!
      bjs

      Excluir
  5. Nossa o texto realmente é muito bom,pensativo,
    na hoor que citou Loop eu lembrei-me de um filme que eu vi,muito bom,quando estamos nos dando bem com uma situação,tudo passa rápido,acho que tudo que é bom realmente dura pouco,
    ou simplesmente somos egoistas em achar que só porq pra nós está ruim,ou está demorando quer dizer que não é bom,o mundo gira pra todos,e agrada a todos e horas e dias diferentes,esperar que é o dificil,pois queremos ser felizes todos os dias,e é horrivel quando o ano começa a ficar chato,e as coisas nao tem mais tanto sentido como antes.muito bom mesmo.

    E brigadim pela sua visita ao meu blog,sua dica foi muito valiosa,vou mudar aquele capítulo e me empenhar ao máximo em melhorá-lo e seguir suas dicas,parabens vooç é tao inteligente,
    logo postarei a nova versao,
    quero fazer esse curso de CDL,poderia me explicar como conseguiu?
    beijuus e se cuida!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O conceito de tempo é relativo. Não diria que é egoísmo pensar que o tempo passa rápido de acordo com a nossa vontade. Mas o que você disse é a mais pura verdade: o mundo gira pra todos, e agrada a todos e horas e dias diferentes, esperar que é o diícil.

      Fico feliz que as dicas lhe foram úteis! Estou ansioso para ver a nova versão!
      Olha, o próximo CDL 1º nível vai ser ano que vem, não tenho muita certeza de que dia será, mas fica de olho no site da CCJ para se informar mais a respeito, OK? ;)
      bjs

      Excluir
  6. Eduardo, compreendo perfeitamente seu ponto de vista acerca da falta de noção de tempo, visto que sofro do mesmo mal. Mal senti passar estes dois anos ativos escrevendo em um blogue que pensei que duraria no mínimo menos de um ano.
    Lidar com a morte é complicado. Dizem que o ser humano se adapta a tudo, não concordo. O ser humano LUTA para se adaptar, para encarar a morte como comodismo, porém, algo em nosso interior contradiz esta "verdade".
    Seu texto nos leva a muitas reflexões do que somos, sentimos e parecemos ser.
    Obrigado por participar da BC.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Christian!
      É curioso por que quando decidimos começar um blog nunca colocamos muita fé no início, e nunca pensamos quanto tempo duraria e tal...
      Não gosto de pensar que o ser humano é um ser 100% adaptável a todo o tipo de situação, por que é praticamente impossível um ser humanos vivênciar TODAS experiências do mundo, querendo ou não essa vontade de adaptar parte muito do orgulho de não querer demonstrar fraquezas.
      Agradeço pelo comentário!
      Abraços

      Excluir
  7. Hola Eduardo, vengo del blog de Nadia para conocer tu espacio.
    Precioso lugar me encantó leerte!
    Si me permites me quedo para seguirte, abrazos desde Uruguay!

    http://perfumederosas-cristina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola Cristina! Encanta recibir su visita en mi blog! :)
      No sé hablar a español muy bien, pero voy a usar lo poco que he aprendido en la escuela, perdóname si tienes algunos errores XD
      Tu blog es increíble, sus poemas son belissímos, me encanta leerlos!
      Me encantó conocer a ti, abrazos!

      Excluir
  8. Mil gracias por la visita Eduardo, no importa el idioma, importa el cariño y la amistad que se crea entre diferentes sitios y personas.
    Te dejo unabrazo y si no te incomoda llevo tu enlace a mi sitio.
    Abrazos muchos!

    http://perfumederosas-cristina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. A morte é dura e difícil, assim como qualquer perda, Edu... sei como é esse sentimento, contudo, para amenizar esse tipo de dor, aprendi que as lembranças são eternas... seu texto é bem reflexivo, "viajei" nele. Parabéns pela escrita. Abraços e tudo de bom.

    ResponderExcluir